DIDAM HOU BRAGA

31 anos, Ludovicense. Pertencente a uma família Negra, sempre vivi no meio cultural, principalmente a cultura negra. Carrego no nome, a origem e a história de minha raça. Criada por mulheres negras e de fibra. Neta de Maria Rosa, benzedeira, estudou só até a 4 série. Filha de Maria Raimunda, mulher preta, de axé, envolvida desde cedo com cultura e religião, pois veio de família tradicional de terreiro de mina e cura, arte educadora e Ekedji.  Eu, mulher preta, teatro educadora, mãe, rodante/abiã, comecei no candomblé, mas a herança familiar mineira falou ainda mais alto e hoje sigo as duas vertentes dentro da matriz africana.